Tecnologia líder no mercado de telecomunicações

Posts para » Plataforma VoIP

Chamadas simultâneas versus chamadas por segundo CPS

EficiênciaLimitando chamadas por segundo de forma inteligente

Quando as pessoas perguntam qual é o desempenho do SipPulse, eu normalmente respondo que é acima de 1000 chamadas por segundo.  É claro o pessoal de vendas repassa esta informação aos Call Centers que compram tráfego. Nossa plataforma suporta … No entanto é importante entender que não basta ser capaz de processar centenas de chamadas por segundo, é preciso ter canais disponíveis para completá-las.  Quando uma plataforma VoIP recebe um volume excessivo de chamadas ela passa a retornar um congestionamento  (503 Service Unavailable). Mesmo com o congestionamento a chamada é encaminhada ao gateway e um CDR é gerado para fins de estatística consumindo mais CPU, mais disco, mais tempo de backup, em outras palavras, mais custo, sem completar uma única chamada a mais.  O  indicador ASR (relação entre chamadas atendidas e chamadas enviadas) diminui e a percepção da qualidade da operação cai. Em casos extremos o próprio gateway pode travar com o excesso de cps como já vimos acontecer.

O que você pode fazer?

1. Limitar o número de chamadas que podem ser enviadas a cada gateway. isto pode ser feito associando o atributo “maxcalls” ao gateway.

2. Você pode também, limitar o número máximo de CPS (também chamado de CAPS, Call Attempts per Second) de acordo com a quantidade de canais disponíveis.

Como dimensionar o CPS máximo de um cliente. Por exemplo: uma operação que pode ocupar  120 canais com a seguinte característica de tráfego, ASR de 20% e tempo médio de chamada de 30s.

ChamSim = ASR * ACD * CPS * 0.6

Onde:

ChamSim – Chamadas simultâneas

ASR = Relação atendimento/ocupação (Answer to Seizure Ratio) em %

ACD = Duração média em minutos

CPS = Tentativas de chamada por segundo

Aplicando a fórmula:

120 = 20 * 0,5 * CPS * 0,6

Isolando o CPS

CPS = 120 / (20 * 0,5* 0,6) = 20 cps,

Em outras palavras um cliente que possui este tipo de tráfego pode ser atendido com módicos 20 cps. Você pode limitar a quantidade de CPS na tela de configuração do assinante no campo “cps”.

Acima deste valor você está apenas desperdiçando recursos na sua plataforma e gerando um monte de bilhetes com falha.

Os Call Centers que entenderem esta fórmula podem limitar o fluxo de chamadas evitando de “queimar” o mailing tão rapidamente e também desperdiçar recursos.

Espero ter podido ajudar os nossos clientes nas suas operações com esta simples fórmula.


O que diferencia uma plataforma VoIP softswitch class 4, 5 e Hosted PBX?

softswitchExiste muita confusão no mercado em relação ao que são as classes de softswitch e seus recursos. Esta nomenclatura vem do tempo dos switches com comutação de circuitos, mas ainda são usadas na era do NGN Next Generation Networks.

O que é um softswitch afinal?

O softswitch é um software que roteia chamadas. Mais recentemente surgiu a expressão VoIP switch que é um software que roteia chamadas VoIP baseado em lógica de programação e acesso a bancos de dados.  Um softswitch pode encaminhar tanto chamadas através de VoIP quando através de troncos E1, SS7 e até mesmo ramais em alguns casos. No Brasil é comum chamar softswitch de Plataforma VoIP.

Quais as diferenças?

É importante entender as diferenças para saber o que esperar de cada uma das classes.

Class 5 Softswitch

Um softswitch de class 5 é usado para atender os assinantes.  Estas plataformas VoIP tem como característica suportar um grande volume de usuários registrados. Além disso vários recursos de assinante como secretaria eletrônica e siga-me são indispensáveis. A central de assinantes do SipPulse é um switch classe 5 que permite a execução de várias áreas locais juntas a até um milhão de usuários registrados sem NAT. A plataforma VoIP faz também a tarifação dos assinantes de forma pré e pós-paga além do controle anti-fraude.

Class 4 Softswitch

Um softswitch classe 4 é usado para rotear chamadas entre operadoras.  Ele normalmente é usado para rotear chamadas entre diferentes áreas e para chamadas internacionais. Hoje com a NGN e uma base de assinantes centralizada, muitas vezes não vale a pena a aquisição de um novo softswitch para uma nova área local. Características comuns de class 4 softswitches são o desempenho e roteamento associado ao BDO (banco de dados operacional) e o cadastro de prefixos.  A Plataforma VoIP softswitch e central de trânsito do SipPulse é um switch de classe 4 que roteia entre áreas locais de forma inteligente e integrada ao BDO.

Hosted PBX ou PABX Virtual

O PABX virtual é uma variação do switch classe 5. Ela adiciona os recursos de transferência, captura de chamadas, conferência e filas de atendimento. A maioria dos Hosted PBX são multi-tenant (permitem várias empresas no mesmo equipamento).  O objetivo é reduzir o custo do cliente com a aquisição e manutenção de centrais telefônicas.  Embora a popularidade nos EUA de operadoras como a RingCentral, e a 8×8 seja inegável. No Brasil esta modalidade ainda está engatinhando devido ao alto custo dos telefones IP importados.  A SipPulse oferece o HostedPBX multi-tenant para operadoras.

Resumo

Escolha a ferramenta certa para o trabalho certo. Classe 5, assinantes, Classe 4 entre áreas e internacional e HostedPBX para PABX virtual. Os recursos são um pouco diferentes entre as classes. Procure uma empresa que pode lhe dar a solução completa para operar como VoIP, operadora STFC ou PABX virtual como a SipPulse. Nossa experiência em dezenas de clientes vai ajudar sua empresa a ter sucesso mais rápido com menos percalços.


Plataforma VoIP para STFC, 10 dicas de como selecionar

Plataforma VoIP para STFC

SipPulse softswitch

No momento em que você decide comprar uma plataforma VoIP para operar um serviço de telefonia fixa comutada- STFC, é importante atentar para uma série de recursos que são importantes para a operação. Abaixo seguem algumas dicas.

1. Procure uma plataforma apropriada para seu tamanho de operação.  As grandes operadoras podem ter muitas pessoas e diversos departamentos para operar o serviço. No entanto as pequenas e médias precisam fazer todo o serviço com uma equipe reduzida. Um plataforma integrada que inclui tarifação e DETRAF ajuda muito.

2. Roteamento Inteligente.  Procure uma plataforma que faça roteamento baseado em banco de dados e tabelas da Anatel. Em outras palavras que não exija da sua equipe digitar todos os prefixos da operação. Com uma equipe reduzida quanto menos trabalho maior a produtividade e mais segura é a operação.

3. Redundância. Uma operação STFC não pode parar, por isso redundância e continuidade operacional são importantes. A SipPulse oferece operação em redundância e cluster.

4. Possibilidade de operar várias áreas de numeração ao mesmo tempo. Há plataformas no mercado que só operam em um uma única área de numeração (ex. 11, 21, 41…). Na hora de expandir se sua plataforma não permitir rodar todos os seus assinantes de forma centralizada, você vai ter de despender mais recursos de hardware e de operação do sistema.

5. Suporte a Multi-Tenant e Revendas. Uma fonte importante de receitas das operadoras são as revendas. Na maioria dos casos são operadoras menores que não puderam investir em uma outorga STFC ou nas interconexões. Com o multi-tenant você pode criar domínios virtuais para acomodar estas revendas.

6. Integração através de WebServices. O SipPulse está integrado a mais de 8 diferentes CRMs de mercado. Todas as chamadas ao sistema estão disponíveis através do padrão SOAP/XML e documentadas.

7. Sistema Anti-Fraude. Procure uma plataforma que evite que um cliente com um PABX invadido ponha tudo a perder. O nosso anti-fraude permite pela análise de comportamento detectar padrões de fraude e impedí-las antes mesmo de começarem. Além disso o sistema protege também contra DoS/DDos e bloqueio de tentativas de autenticação com falha.

8, DETRAF embutido. O DETRAF é uma das fontes mais importantes de receita para uma operadora. Certifique-se que a sua plataforma gere o documento do DETRAF de forma automática. Algumas plataformas geram apenas a tarifação com o tronco e chamam isso de DETRAF. Uma plataforma que gera DETRAF tem de gerar no formato definido pela ANATEL reduzindo assim seus custos operacionais.

9. Suporte Técnico. Tenha certeza que sua plataforma tem suporte telefônico no Brasil. A operação STFC é crítica e requer SLAs de menos de duas horas. A SipPulse é excelência no suporte contando com equipe altamente especializada e suporte 24/7/365.

10. Busque referências. Antes de contratar entre em contato com pelo menos três clientes das plataforma que você pretende usar e pesquise a satisfação dos clientes. Trocar de plataforma depois é trabalhoso, por isso é importante acertar na primeira vez.

Para informações adicionais ou solicitar acesso ao demo entre em contato

 

 


WEBINAR SOFTSWITCH SIP Para Operadoras de Telefonia STFC

webinar

Dia 22 de outubro de 2015 as 10:30h será realizado um Webinar gratuito sobre o softswitch SIPPulse para operações de telefonia STFC. Neste evento abordaremos as características de roteamento, confirguração e operação do softswitch PULSE STFC, além de aspectos da flexibilidade de implantação, robustez, capacidade de expansão, segurança e eficiência operacional.

Apresentaremos ainda o uso do sistema em tempo real, simulação de configurações e operação da plataforma, com destaque às funções de Trânsito, módulo complementar e integrado ao softswitch que gerencia a troca de tráfego com outras operadoras, a carga integrada de dados do CADUP e BDO e a geração do DETRAF.

Inscreva-se para o evento acessando: http://bit.ly/1hO1mdM
Leia mais…